• Instagram
  • RSS

Como anda seu nível de stress?

set 19, 2014   //   by Dra. Letícia   //   Outras  //  1 Comment

O estilo de vida moderno nos confere uma série de atribuições cotidianas que nem sempre estamos aptos física e mentalmente a cumprir. Desta maneira, um novo grupo de doenças vêm chamando a atenção dos pesquisadores médicos e uma delas é a Fadiga Adrenal.

Temos em nosso corpo duas pequenas glândulas situadas na parte superior de nossos rins: são as adrenais ou suprarrenais. Apesar de pequenas (pesam cerca de 4 gramas cada uma), são extremamente importantes para regular nosso sono, pressão sanguínea, metabolismo da água, sódio, potássio, carboidratos (glicose), gorduras, controle da imunidade, resposta ao stress e resposta inflamatória, dentre outras funções. O seu córtex, ou parte externa, produz cortisol, DHEA, aldosterona e outros hormônios.

Quando estas glândulas são super estimuladas por um período longo, por exemplo por stress físico e mental, doenças crônicas e outros, elas começam a falhar e emitem respostas inadequadas na produção hormonal. Nestes casos, alguns sintomas podem aparecer, em menor ou maior intensidade, de acordo com cada caso: cansaço, depressão, ansiedade, perda do entusiasmo, sono ao longo do dia, acordar-se cansado, infecções frequentes, tonturas, diminuição da libido, compulsão alimentar, etc.

Sono

O termo Fadiga Adrenal  não é reconhecido ainda pela medicina convencional como uma patologia, mas muitos médicos já estão aptos a reconhecer, diagnosticar e tratar este conjunto de sintomas. As pesquisas médicas avançam rapidamente no sentido de esclarecer o público médico e a população em geral a respeito desta patologia tão comum nos dias de hoje. A condição de mau funcionamento adrenal se apresenta em diferentes fases de acordo com o grau dos sintomas que se manifestam e resultados de exames laboratoriais:

  • Fase de Alarme: os níveis de adrenalina, noradrenalina, cortisol, DHEA e insulina geralmente estão elevados. Há queixa de cansaço intermitente, sono e excitação podem intercalar-se ao longo do tempo.
  • Fase de Continuação do Alarme: alguns dos hormônios podem começar a ter seus níveis plasmáticos diminuídos. Há sensação de cansaço e excitação mais evidentes.
  • Fase de Resistência: o DHEA e alguns hormônios sexuais irão diminuir seus níveis para compensar os níveis de cortisol, que começa a declinar. Há cansaço, falta de motivação, diminuição de libido e infecções de repetição, dentre outros.
  • Fase de Burnout ou Exaustão: todos os hormônios adrenais terão seus níveis plasmáticos diminuídos, inclusive e principalmente o cortisol. Há cansaço extremo, depressão, ansiedade, perda ou ganho de peso, compulsão alimentar, apatia, sono intenso ao longo do dia, diminuição da libido e irritabilidade, dentre outros.

Ao deparar-se com quadro semelhante a este citado, procure ajuda de seu médico e ele poderá esclarecer melhor sobre como melhorar sua saúde adrenal.  Algumas mudanças no estilo de vida podem ajudar a manter as adrenais funcionantes e até mesmo tratar sua fadiga:

  • Dieta: identificar os alimentos que possam causar sensibilidades e/ou intolerância, restringir carboidratos refinados (principalmente o açúcar), comer frutas, legumes e verduras ricos em substâncias antioxidantes, vitaminas e minerais.
  • Suplementos: ingerir vitaminas e minerais essenciais ao bom funcionamento adrenal, bem como regular os níveis de hormônios quando necessário.
  • Modular o stress físico e mental: praticar atividades físicas orientadas e controle de stress.

Todos podemos ter saúde, basta acreditar no poder de regeneração de nossos corpos. Alimente-se corretamente, exercite seu corpo e sua mente, viva de forma saudável e seja feliz!

Para saber mais: adrenalfatiguesolution.com

1 Comment

  • Muito interessante! Cada vez temos que dar mais atenção ao que o nosso corpo diz ,sob forma de sintomas .Adorei.

Leave a comment